sábado, 29 de agosto de 2009

Moral

Uma das maneiras de medir sua moral com as pessoas é no aeroporto. Sempre me chamou a atenção como há várias pessoas esperando seus entes queridos na saída do desembarque. Seja com flores, balões, cartazes ou simplesmente com a alegria estampada no rosto. O abraço apertado, o beijo caloroso ou o aperto de mão demonstrando a felicidade de ver alguém que por um tempo fez falta.
Sim, tenho inveja dessas pessoas. Falo em inveja por que sempre tenho a impressão que minha moral não anda bem quando chego de viagem.
Durante meu casamento minha ex-mulher nunca me esperou no aeroporto. Contando que durou 6 anos e nesse período fiz muitas viagens, sendo que duas fiquei mais de 20 dias longe, estava na cara que a moral andava baixa.
Depois de separado o mano Caco me deixou mais tranquilo. Foi me buscar algumas vezes. Pelo menos com a família a coisa andava bem.
Daí comecei a namorar. Na primeira viagem lá estava ela, sorriso e braços abertos. Moral em alta. Na segunda, me esperou dentro do carro em fila dupla. Sinal de alerta. Na terceira, nem foi. Moral baixa. Resultado, dias depois terminou.
Não tenho viagem marcada por agora, mas já vou começar a trabalhar meus relacionamentos para que da próxima vez alguém esteja lá. Nem que seja o Caco (hahahahahaha!).

7 comentários:

Caco disse...

magoou?

kakazinha disse...

Achei demais!!!
Rir litros!!!!
kakakakaka

Rodrigo disse...

Cara, o mano véio mandou encomendar uma bike tandem prá te buscar da próxima vez!

Anônimo disse...

É...revelador

Emilio Pacheco disse...

Isso é mau sinal. Comigo foi assim: eu dizia "não precisa ir me buscar na estação" e ela respondia "capaz que eu vou te deixar sozinho por aí". Até que um dia eu liguei pra avisar que estava chegando e ela disse: "Vem direto." Foi o presságio.

Neca disse...

Se a coisa é assim, tô mal... Faz quase quatro anos que ninguém me busca mais no aeroporto! Buááááá!

Emilio Pacheco disse...

Bem, minha namorada atual está em Portugal, então agora é a MINHA vez de me preparar para buscá-la no aeroporto. Pior é que não sei se vai dar. Agora lembro que também não tinha ninguém me esperando da última vez que voltei dos Estados Unidos. A pessoa que me esperava estava trabalhando. E também ninguém foi se despedir de mim na saída. Pensando bem, isso é sinal de independência. Vamos ver pelo lado positivo.